Comissão de Constituição e Justiça analisa projeto do deputado João Rodrigues que institui o Dia Nacional da Paz e Fraternidade no Futebol

O deputado federal Evandro Roman (PSD-PR) foi designado relator do projeto de Lei 8070/2017 do deputado federal João Rodrigues (PSD) que institui o Dia Nacional da Paz e Fraternidade no Futebol, a ser comemorado no dia 29 de novembro, que será analisado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). A proposta é valorizar o futebol, que é uma paixão nacional, e lembrar à data em que ocorreu a maior tragédia aérea sofrida na história do esporte brasileiro, a queda do avião que vitimou o time da Chapecoense.

João Rodrigues diz que lembrar a data da tragédia é um também um momento de destacar a união entre as torcidas. Quando o avião que transportava o time da Chapecoense à cidade de Medellín, na Colômbia, para a final da Copa Sul-Americana de 2016, coroando uma temporada de glória para o time da pequena cidade de Santa Catarina com apenas 200 mil habitantes, caiu, resultou na trágica morte de quase todo o elenco e equipe técnica da Chapecoense, além de jornalistas esportivos do país.

“A tragédia foi uma data de muita tristeza para o futebol, para o Brasil e para o mundo. No entanto, as repercussões dessa tragédia acabaram por inspirar atitudes que revelaram valores como união, paz e solidariedade: torcida de times que iam se enfrentar em uma final de campeonato se unirem no maior ato de solidariedade, fraternidade e respeito jamais visto”, relembra o deputado.

Para João Rodrigues não há homenagem maior às vítimas do que transformar o dia da tragédia em uma data para, por meio da lembrança constante, imortalizar o sentimento de união, respeito e solidariedade que envolveu toda nação e o mundo, criando uma identidade e contribuindo para uma cultura de paz perene no futebol brasileiro e em nossa sociedade.

No mês de outubro desse ano, a Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou, por unanimidade, o projeto. No final do ano passado, a Câmara dos Deputados promoveu uma audiência pública para discutir o projeto e focou na justificativa de que “o futebol é a paixão brasileira. O esporte, segundo pesquisas do Ibope, Datafolha e USP tem historicamente a preferência de mais de 70% (setenta por cento) da população. No Brasil, o futebol é bem mais do que um esporte: é uma identidade, um símbolo cultural coletivo, perpassando por diferentes grupos e classes sociais, diversos padrões de renda e escolaridade, culturas e regiões e, por isso, tem tanto impacto em nossa sociedade.”.

 

Tramitação

O relator tem a partir desta quarta-feira (28) cinco sessões da CCJ da Câmara dos Deputados para apresentar o relatório. Caso seja aprovado, o projeto vai à apreciação no plenário da Câmara e depois segue para o Senado.