Assinado convênio de R$ 15,6 milhões para ampliação da Arena Condá e do museu da Chapecoense

Após várias reuniões em Brasília, a Prefeitura de Chapecó e a Caixa Econômica Federal assinaram no domingo, dia 15, o contrato para a execução das obras da primeira etapa do projeto de ampliação, modernização da Ala Sul da Arena Condá e para construção do museu da Chapecoense. O convênio é de R$ 15,6 milhões, com outros R$ 400 mil de contrapartida da Prefeitura de Chapecó, totalizando R$ 16 milhões. A obtenção dos recursos federais contou com a articulação do deputado federal João Rodrigues (PSD).

As obras compreendem a modernização da Ala Sul do estádio e melhorias na infraestrutura. O prazo final do convênio é 31 de dezembro de 2018 e a execução do plano de trabalho da primeira etapa envolve várias fases: fundações/pilares; carga, transporte e entulho; demolição parcial da arquibancada existente; estrutura de concreto armado; equipamentos de obra; sistema da fachada; recuperação e pintura da arquibancada existente; iluminação com lâmpadas de LED; pilar de concreto com bloco; cobertura metálica; colocação de telha em fibra translúcida; pintura intumescente e revestimentos. O objetivo é ampliar a atual capacidade de 20 mil para 30 mil pessoas.

Na lista de resultados positivos, cinco títulos estaduais (1977, 1996, 2007, 2011 e 2016), uma Copa Santa Catarina (2006), uma Taça Santa Catarina (1979) além de cinco vice-campeonatos catarinenses (1978, 1991, 1995, 2009 e 2013), dois vice-campeonatos da Copa Santa Catarina (1996 e 2009), 3º colocação na série D (2009), acesso à série C, onde permaneceu até 2012, e da à série B, para chegar à divisão de elite do futebol brasileiro, disputando a Série A pela 4º vez consecutiva, e figurar entre os 20 melhores clubes de futebol do Brasil.

João Rodrigues era prefeito de Chapecó em 2005 quando o time da Chapecoense estava ameaçado de fechar por dívidas financeiras. A proposta na época era de transformar o estádio numa horta comunitária e quando assumiu o comando da Prefeitura, João Rodrigues mobilizou os empresários da região e o time conseguiu sanar suas dívidas.

Na época também foi concluída a primeira etapa das obras na ala Sul do estádio. A Arena Condá foi uma obra do prefeito João Rodrigues substituindo o antigo Estádio Regional Índio Condá. O projeto na época foi de 5.383 metros quadrados e arquibancadas para 25 mil pessoas. “Quando busquei o recurso junto ao Governo Federal  foi na época da tragédia que culminou na morte de 71 pessoas, eu mobilizei a bancada federal do PSD e ela se propôs a colocar uma emenda dela. Depois falei com o presidente Michel Temer (PMDB) e ele disse que não precisaria, que ele colocaria o meu pedido e assim o fez. Esse recurso é específico para o Esporte, não poderia ser para outra área. Isso é importante para o Oeste catarinense, gera economia e lazer”, destaca João Rodrigues

Em 2016, devido ao desastre aéreo que culminou na morte de 71 pessoas, entre eles dezenove atletas e dezesseis membros da equipe técnica da Chapecoense, além de oito integrantes da diretoria, 21 jornalistas e sete tripulantes, a Chapecoense foi declarada campeã após o Atlético Nacional solicitar a entrega da taça à equipe. Com isto, a Chapecoense ganhou o direito de disputar a Copa Libertadores da América de 2017, a Recopa Sul-Americana, a Copa Suruga Bank e a Supercopa Euroamericana do ano seguinte. Foi o terceiro clube do Brasil campeão do torneio. Além disso, a Chapecoense obteve o primeiro título internacional de sua história, e foi o primeiro time do estado de Santa Catarina a conquistar um título continental, sendo a primeira equipe fora dos 12 grandes do futebol brasileiro a conseguir esse feito.

Melhorias nos últimos anos

Nos últimos anos, parcerias entre a Prefeitura de Chapecó e o Governo do Estado elevaram capacidade e conforto para os torcedores com ampliações e melhorias nas alas da Arena Condá. Recentemente foi apresentado um novo projeto da nova Arena, que recebeu o slogan “Palco das Nossas Maiores Conquistas”, resultado da solidariedade de duas empresas que realizaram o trabalho sem qualquer custo, a Estel Engenharia, de Itajaí-SC, e a NBC Arquitetura, de Cascavel-PR, prevendo aumento da capacidade para 30 mil torcedores, camarotes e cabines para a imprensa.

Aos poucos a Arena Condá vai ganhando status de um grande estádio. O Regional Índio Condá foi inaugurado no dia 24 de janeiro de 1976 para ser a casa do futebol Chapecoense. A história do Estádio guarda momentos inesquecíveis, como o primeiro título de campeão catarinense da Associação Chapecoense de Futebol em 1977. O sexto e último título estadual foi conquistado em 2017 e o Clube também traz no peito uma sétima estrela que representa a conquista da Copa Sul-americana de 2016.

Em 2007 a Prefeitura de Chapecó decidiu transformar o Estádio em Arena e iniciou a execução de novas arquibancadas. A Ala Sul foi inaugurada em 2009 e a Ala Norte em 2010. Com a construção da nova Ala Leste em 2013, a Arena Condá alcançou a capacidade atual de 20 mil torcedores.

Com o acesso da Chapecoense a serie A em 2014, depois a conquista da Sul-Americana em 2016, com uma vaga na Copa Libertadores da América 2017, o Clube e a Prefeitura estavam diante de mais um grande desafio: melhorar as instalações e aumentar a capacidade de lotação, que segue agora com a assinatura do contrato neste domingo. Os recursos para as novas obras foram obtidos com a articulação do deputado federal João Rodrigues (PSD/SC), que participou do ato de assinatura do convênio junto com o prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, diretores da Caixa e da Associação Chapecoense de Futebol.